O Festival Internacional de Balonismo de Torres chega na sua 32ª edição em 2020. Tivemos nesse período 30 campeões (em 1999 não houve provas) e 29 vice-campeões (em 1989 não existe o registro do 2º colocado). Sempre falamos nos vencedores, o que é natural, afinal, eles foram os melhores.

Mas hoje o Blog decidiu fazer uma coisa diferente. Vamos relembrar a seguir a “galeria dos vice-campeões” da história do Festival Internacional de Balonismo de Torres. Grandes nomes do esporte que bateram na trave do evento mais tradicional do Brasil. Vamos lá?

1989 – Não há registro
1990 – Caco Marques
1991 – Rui Kalousdian
1992 – Caco Marques
1993 – Edson Romagnolli
1994 – Caco Marques
1995 – Antônio Caetano
1996 – Rui Kalousdian
1997 – Alberto Brites
1998 – Chico Paulo
1999 – Não houve provas
2000 – Luiz Eduardo Consiglio
2001 – Mauro Chemin
2002 – Ricardo Almeida
2003 – Lupercio Lima
2004 – Fabio Passos
2005 – Javier Barozza – ARG
2006 – Adrian de Sade – FRA
2007 – Fabio Passos
2008 – Fabio Passos
2009 – Olivier Roux Devillas
2010 – Sacha Haim
2011 – Rubens Kalousdian
2012 – Rubens Kalousdian
2013 – Kaio Chemin
2014 – Sacha Haim
2015 – Michael Suchy – CZE
2016 – Homero Antunes
2017 – Warley Macedo
2018 – Sacha Haim
2019 – Warley Macedo

Curiosidades

  • O multi campeão Rubens Kalousdian nunca foi campeão do Festival de Balonismo de Torres, mas já quase chegou lá: em 2011 e 2012 chegou na segunda posição.
  • Outro campeão brasileiro que ainda não venceu em Torres e foi vice-campeão em 2003 é o goiano Lupercio Lima.
  • Nenhum piloto estrangeiro conseguiu ser campeão em solo gaúcho, mas foi por pouco: 2005 o argentino Javier Barozza, 2006 o francês Adrien de Sade, 2009 o francês Olivier Roux Devillas e em 2015 Michael Suchy, da República Tcheca, ficaram com o segundo lugar mais alto do pódio.
  • Caco Marques (in memorian), Fabio Passos e Sacha Haim foram quem mais ficaram na segunda posição: cada um conquistou essa marca três vezes.

O 32º Festival Internacional de Balonismo de Torres acontece entre os dias 29 de abril e 03 de maio.

Comentários

comentários