O céu de Araçoiaba da Serra ficou colorido com o treino que antecedeu a abertura da 32ª edição do Campeonato Brasileiro de Balonismo. Os pilotos decolaram nesta segunda-feira (22), por volta das 7h30, e passaram por dois alvos indicados pela direção de prova.

O encontro dos competidores ocorreu na área do ginásio municipal de esportes de Araçoiaba da Serra. Eles começaram a chegar por volta das 5h – quando o sol ainda não havia nascido – para analisar as condições do vento e, posteriormente, o trajeto definido para o treinamento.

Cada equipe chegou com o balão carregado na carroceria de uma caminhonete. Eles se reuniram dentro do ginásio e receberam as instruções do diretor técnico do Campeonato Brasileiro de Balonismo, Marcos Bonincontro.

Às 7h, o grupo seguiu rumo ao local escolhido para a decolagem: uma área usada para a plantação de cana-de-açúcar distante aproximadamente 2 quilômetros do ginásio. Eles analisaram as condições do vento e decidiram montar o equipamento para a subida.

As cestas foram rapidamente retiradas dos veículos e os balões começaram a ganhar forma com a ajuda do ar quente. Logo, cada um começou a subir de forma sequencial e seguiu rumo à direção do primeiro alvo.

A primeira meta dos balonistas, logo após a decolagem, era arremessar um objeto no alvo colocado no campo de futebol situado ao lado do ginásio municipal de Araçoiaba da Serra. Esse exercício será uma das provas durante a disputa da 32ª edição do Campeonato Brasileiro de Balonismo.

Bonincontro confirmou o início das disputas nesta terça-feira (23). “Desde que as condições do vento ajudem”, diz.

Como funciona a competição

O Campeonato Brasileiro de Balonismo premiará como campeão o piloto que somar mais pontos dentre as tarefas passadas a cada dia. Para isso, o presidente da Confederação Brasileira de Balonismo, Johnny Alvarez da Silva, explica que foram demarcados pontos em toda a cidade.

Os balonistas precisarão atingi-los com alvos. “Quem chegar mais perto do ‘X’ ganha no dia”, diz. A decolagem ocorrerá do local escolhido por cada piloto, conforme sua estratégia de voo.

Além disso, haverá a prova de decolagem coletiva, quando todos os balões partirão do ginásio municipal. Segundo o presidente, o vento é necessário para o deslocamento do balão, mas caso não haja vento em algum dia do campeonato o juiz pode optar pela prova de mínima distância, quando os balões partem do mesmo ponto e os pilotos têm que se controlar no ar para atingir o alvo.

Fonte: Jornal Cruzeiro do Sul

Comentários

comentários