Qual torrense nunca sonhou em ser piloto de balão ou voar em um? Com o Festival Internacional de Balonismo sendo realizado há 31 anos em Torres, é difícil não se envolver, não se deslumbrar e não ficar contando os dias para ver novamente aquele colorido no céu. Foi o que aconteceu com o Murilo Hoffmann, que desde criança acompanhava os balões sobrevoarem a cidade. Essa paixão pelo esporte fez Murilo transformar em realidade o que antes não passava de uma simples fantasia de criança: se tornar piloto de balão.

“Minha mãe me acordava cedo para ver os balões da janela de casa. Eu ficava louco quando os balões apareciam no céu. Até que cresci e comecei a correr atrás do meu objetivo. Consegui entrar em uma equipe de resgate francesa. A partir daí fui participando cada vez mais até que comecei a trabalhar com um balonista de Torres, o único da época. Fui adquirindo experiência até que me formei piloto de balão em 2011. Foi a realização de um sonho de criança”, lembrou Murilo, agradecendo a todos que o apoiaram. “Família e amigos, muito obrigado”.

A cada ano que passa cresce o número de equipes de balonismo que se formam em Torres e que começam a participar de competições pelo Brasil e pelo mundo, divulgando o nome da cidade. Já são quase quinze torrenses que possuem a autorização para pilotar balões de ar quente, sendo que mais um deve concluir sua formação ainda este ano.
Dificuldades com o esporte
 
Além de o tempo ter que colaborar para a prática do balonismo, os recursos financeiros a serem desembolsados são muito altos, já que para inflar os balões é necessário utilizar gás propano. Desta forma, para manter o esporte e sobreviver dele não é tarefa fácil. Na maioria dos casos é preciso conseguir bons patrocinadores. Em Torres, muitas empresas são patrocinadoras, o que fomenta ainda mais o esporte.
Balonismo e seus segmentos
 
Para tentar se manter fazendo o que gosta, Murilo, além de pilotar, desenvolve projetos em 3D. “Eu faço projetos de balão em 3D para outros pilotos e empresas. Balões com formatos diferenciados como de casa, bichos, palhaço, entre outros. Estes balões vão voar em Albuquerque (USA), maior evento de balonismo do mundo. Murilo é proprietário da Omega Balonismo, empresa que faz marketing com balão, realiza voos turísticos, produz infláveis, portais, blimps e tendas para eventos.
A cobertura do Blog no 31° Festival Internacional de Balonismo tem o patrocínio da Construtora Monte Bello, Infinity Imobiliária Digital, Omega Balonismo, Air Show, Sosseg, RVB Balões e Infláveis, Balloon Pizzaria, Peretto & Irmão Material de Construção, RMS Telecom, Jung Balonismo e ART Malhas.
Com informações de Maiara Raupp

Comentários

comentários