Olá querido leitor do Blog do Balonismo. Estou retornando hoje com a série Mulheres do Balonismo, um espaço dedicado para que elas possam falar um pouquinho da sua história no balonismo. Hoje vamos conhecer um pouco mais da Flavia Souza, moradora de Torres/RS, esposa do Giovani Pompermaier, mãe do Miguel Antonio e futura piloto de balão. Vamos lá?

Paixão desde a infância

“Sou da época que antecede o balonismo, quando ainda era a Febanana. Quando o Festival de Balonismo de Torres iniciou eu devia ter 5 anos. Então falar de balonismo pra mim é falar de boa parte da minha infância, como a maioria dos apaixonados por balão. Cresci acordando com o barulho dos maçaricos, os balões passando em cima da minha casa, ou até mesmo sendo inflados ali no parque. Morei boa parte da minha vida quase sempre em frente ao parque de balonismo.

Lembranças da Páscoa

Os primeiros festivais de Balonismo sempre aconteciam no feriado da Páscoa, então balão e festival sempre me remete a cheiro de chocolate.

Amor pelos balões

Em época de festival principalmente, acordava com aquele despertador, o maçarico dos balões, e logo corria pra frente de casa para poder ver aqueles gigantes voarem por cima de casa ou fugia pro parque pra tentar chegar perto. O tempo passava e o amor por eles só aumentava, a vontade de querer chegar perto, tocar num daqueles gigantes era cada vez maior, mais parecia quase impossível.

Vontade de fazer parte deste esporte

Olhar aquela galera ajudando a colocar aqueles balões em pé, ver as equipes passando e eu me perguntava: como eles fazem para estar ali dentro, fazer parte. Mas parecia impossível eu conseguir, ainda mais que eu via muitos homens e poucas mulheres nesse esporte. E o desejo foi ficando guardado(escondido).

O destino, ah o destino

Mas como pra Deus nada é impossível e o desejo atrai e a fé realiza… Em dezembro de 2016 participei de um sorteio realizado pela Trip Balonismo… e adivinha: ganhei um voo de balão. Sim eu voei de balão! Depois de mais de 30 anos eu cheguei perto de um balão , uma das maiores emoções da minha vida, sem dúvida.

E a paixão pelos balões resultou num casamento

A partir daquele momento muitas coisas aconteceram, casei com o piloto que me levou pra voar, o Giovani Pompermaier. De lá pra cá muitos voos sendo realizados e ainda faço parte da equipe Trip Balonismo.

Futura piloto

Estou fazendo aulas para logo poder ser mais uma piloto a colorir o céu de Torres. E gente, amo acordar cedo, amo estar nesse esporte, fazer parte de equipes, de colocar a mão na massa, não sei viver mais sem o balonismo. Sou uma pessoa grata a tudo isso, porque junto com essa paixão pelos balões ele também me trouxe minha família e meu amado filho Miguel Antonio.”

Essa foi a história da Flavia Souza. Espero que tenham gostado. Em breve mais um episódio da série “Mulheres do Balonismo” estará disponível aqui no Blog do Balonismo. Se puder deixe um comentário falando o que achou desta história, isso me motiva a continuar escrevendo pra vocês.

Comentários

comentários