Nos campeonatos e festivais de balonismo, as provas aplicadas aos pilotos são do tipo de precisão quando um alvo, no chão ou suspenso, deve ser atingido. Aqui estão as provas que são disputadas em Torres:

Caça a Raposa

Um balão, escolhido de comum acordo entre as equipes no briefing ou determinado pela direção técnica, passa a ser o balão-raposa e decola antes dos concorrentes, que o seguem após 10 min da decolagem. Vence aquele que conseguir pousar mais próximo de onde se encontra o balão-raposa.

Fly In

Os balões decolam fora da área do campeonato e jogam as suas marcas o mais próximo possível de um alvo fixado no local da prova.

Prova do Mastro

A prova mais difícil do balonismo, tanto assim que a chance de vence-la é de apenas 1%. O prêmio (normalmente a chave de um carro) é colocada no topo de um mastro erguido no meio do parque do evento. Os concorrentes decolam a uma distância de no mínimo 3Km. O objetivo é pegar a chave com a mão, em meio ao voo. O balão não pode tocar no solo, nem o piloto utilizar-se de qualquer meio para pegar a chave. Tem que ser com a mão sem o balão pousar.

Pontuação

Nos festivais de balonismo, a organização do evento vai somando todos os pontos dos pilotos nas provas para somá-los ao final do evento e definir o campeão da competição.

A cobertura do Blog no 31° Festival Internacional de Balonismo tem o patrocínio da Construtora Monte Bello, Infinity Imobiliária Digital, Omega Balonismo, Air Show, Sosseg, RVB Balões e Infláveis, Balloon Pizzaria, Peretto & Irmão Material de Construção, RMS Telecom, Jung Balonismo e ART Malhas.

Comentários

comentários