Foto: ricaaventura.com.br

O bate-papo de hoje do BlogBalonismo é com o piloto de Pindamonhangaba Jairo Fogaça. Confira:

Sobre como entrou no esporte: eu entrei no balonismo com o Leonel, Baixo e o Salvator. Já conhecia o Leonel e o Baixo e um dia chamaram pra ir ver o balão que o Salvi havia comprado, acho que em 86 talvez… não lembro mais, e fui fazendo equipe pra eles pois gostava muito de dirigir na terra, então fazia o resgate que as vezes durava a manhã toda… depois fui fazendo algumas promoções com eles e finalmente em 1993 fiz meu primeiro contrato e comprei meu equipamento, era o balão da COREL DRAW (era corel 5 ainda).
Local do primeiro voo: voei a primeira vez em um evento no RJ, acho que em 87, ventava muito e o Leonel olhou e disse: hoje é seu dia de voar… e o mané aqui foi com ele… decolamos, batemos em uma árvore e pousamos 7 km dali a uma velocidade de uns 40km/h… só pancada, foi um começo e tanto…
Um momento de alegria: meu segundo balão, que foi um contrato com a FORD que durou 4 anos de 95 a 99.
Um momento de tristeza no esporte: com certeza a morte do AC, injustificável, me lembro de sentir muito e querer que ele estivesse vivo no hospital pra ir lá e encher ele de porrada pela decisão errada de decolar.
Um ídolo no esporte: ídolo sempre será Sacha Haim, mais que um ídolo um irmão, grande amigo e parceiro.
Voo inesquecível: com o Baixo (Luiz Eduardo Consiglio), em 89 (acho, data está cada vez mais difícil) decolamos de Campos do Jordão e descemos em Pindamonhangaba, 2:15hs, quando passamos por Santo Antonio do Pinhal entramos em uma neblina até o chão… quase uma hora de neblina sem visão nem nada… coisa de louco.
Trabalhos realizados com o balonismo: consegui alguns bons trabalhos, antes de piloto, como equipe, filmar o carnaval no RJ em 88 com o dirigível da KODAK, impossível detalhar o grau de acontecimentos da aventura… Filmagem de comercial para a Le Coq Sportif com o Euzébio, os balões da Reebok com diversas filmagens com a Renata Falzoni: Festivais em Torres, saltos com Sabiá, Campeonato Argentino em 2000 (vencemos), campeonato Sulamericano em Rio Claro (8º lugar) e tantos. Com balão da SWATCH em 2002 fomos ao Mundial na França com a Renata Falzoni e o Sacha e depois ao Castelo de Caras por 15 dias voando com convidados. Também estivemos com a SABESP em 2009 com 4 balões em uma campanha pelas prais de SP e por várias filmagens para a TV Globo com o Sabiá e suas aventuras. Trabalhamos com Suco Maguary, fizemos o balão e 8 promoções e colocamos  na F1, do lado de fora do autódromo no ano que o Alonso bateu na subida da junção e chovia e a corrida ficou sob bandeira amarela um montão… o balão apareceu por 22 minutos em rede mundial!!!! A bateria do celular acabou de tantos amigos ligarem pra contar que estavam vendo o balão, e o resultado é que o gerente da marca NUNCA MAIS FALOU COMIGO… O CONTRATO ACABOU ALI E ATÉ HOJE NÃO SEI PORQUE…
Foto: Arquivo pessoal
Uma história engraçada: claro que histórias engraçadas sempre acontecem com os outros… claro, então uma boa que lembro foi a do Orlandinho, em um dos primeiros campeonatos brasileiros em Ribeirão Preto… no voo da tarde ele e mais alguns passaram mal por conta de uma maionese no almoço. Decolou, subiu e todos os balões vinham meio juntos sobre a cidade e de repente o Orlandinho dispara pra cima… sobe… sobe e fica por lá um tempo, depois de sair de sobre a cidade desce e pousa longe. A noite, perguntado porque fez aquilo, ele nada disse. No briefing do dia seguinte a direção de prova pediu que não fizesse mais isso pois houveram várias reclamações na delegacia que haviam literalmente “cagado” sobre a cidade…
Momentos de tensão: em um outro voo descendo de Campos do Jordão, desta vez eu pilotando já e com nosso amigo gaúcho “Ana Botafogo”, com vento forte passamos muito próximos do topo do morro e pegamos um rotor fortíssimo o que provocou uma enorme deformação do balão e um descontrole que demorou aproximadamente uns 10 minutos, seguimos descontrolados até pousarmos em uma plantação de morangos. Quando o proprietário chegou já fui logo dizendo: não se preocupe, temos seguro e pagaremos por todo o estrago, ao que ele respondeu, “não me interessa nada, quero saber se vocês estão bem, precisam de algo?”, em seguida chegou a equipe de com os olhos maiores que o rosto: e ai, como estão, quebraram algo???? então tivemos a confirmação do que passamos…

Melhor campeonato que já participou: acho que foi o primeiro, eu, o Alemão (o velho) o Paulinho (não o cabeção). Foi em Piracicaba em 93, o balão era um envelope que o Euzébio me emprestou todo no final… fiz um tap novo e precisei tapar muitos pequenos buracos que o balão tinha, e o Euzébio tapou com nylon em formato de estrela… o balão parecia um céu estrelado, tinha estrela de “toda grandeza”. No dia do início do campeonato o Feodor foi me ajudar a colocar o tap no balão, inflamos, entramos dentro dele e o Feodor ao ver o estado do balão disse: eu não vou ajudar você… este balão não vai aguentar quando você der um tap….e saiu fora me deixando sozinho para instalar o tap. Voei o evento todo sem dar tap, só abria o tap quando estava no chão… então imagina o que é voar e esperar o balão esfriar sozinho para pousar… gastamos muita gasolina . Ah, nosso carro era uma Rural sem carreta, tinha dois ferros que saia do para-choque traseiro e apoiava o cesto amarrado da capota ao para-choque. O envelope ia dentro e a ventoinha e maçarico dentro do cesto… Foi demais!
Foto: Arquivo pessoal
Projetos em andamento: bem, agora tenho alguns projetos com lei de incentivo fiscal e special shape pela frente, faço (ou tento fazer) o Festival de Pinda com special shape e temos 2 balões de turismo aqui no Vale do Paraíba. Claro, e não esquecemos de Torres, agora oficialmente ajudando na parte técnica do evento.
Mensagem para os leitores do blog: gostaria de poder deixar um recado que não seja fácil de fazer mas que é muito fácil de entender: divirta-se com o balonismo. Começamos essa atividade com muita diversão, voos com amigos e principalmente com respeito a todos. O CP ( charlie papa – carregador de peso) sempre foi um AMIGO tratado como ESTAGIÁRIO e como NÃO PILOTO, mas com uma diversão enorme pela frente. 90% dos pilotos se formaram assim, mas parece que desandou um pouco. POLíTICA ESTRAGA SEMPRE, e como em todos lugares que participei esportivamente (motociclismo, automobilismo e balonismo) sempre tem a doença do poder, ou da falta dele que leva a diversão para lado errado. Fica uma dica: divirtam-se.

Comentários

comentários