Foto: Arquivo pessoal
O bate-papo de hoje do BlogBalonismo é com o piloto e presidente da Federação Gaúcha de Balonismo Clóvis Kerber Júnior. Confira:

Sobre como entrou no esporte: me interessei no esporte logo após participar de um voo durante uma viagem na África do Sul em 2006, era um safári de balão dentro de uma reserva, no começo fiquei muito tenso era um balão para 12 pessoas e grande demais para quem como eu que nunca havia visto um desses de perto. Após a decolagem fui relaxando aos poucos e comecei a curtir a vista e o voo. Depois do voo fiquei com aquela vontade de “quero mais”, então no retorno ao Brasil entrei em contato com a Federação Gaúcha e com a CBB que me introduziu aos voos de instrução, tive as primeiras aulas com o piloto Warley Macedo, depois com o Ricardo Benitez, Rubens Kalousdian (Rubão) e também com o Ricardo Almeida (Free) por fim me tornei piloto e fui conhecendo mais pessoas do meio.    
Local do primeiro voo: o primeiro mesmo foi como passageiro na África do Sul, depois o primeiro voo de instrução foi em Cabreúva-SP, e o primeiro voo com meu primeiro balão foi também o meu primeiro aqui no Estado em Guaíba-RS com direito a vista do rio e de Porto Alegre no outro lado. 
Um momento de alegria: foram vários, os mais marcantes: o primeiro voo de instrução, depois a chegada da licença, o primeiro voo com o meu primeiro balão, a primeira participação em um evento fora do país (Albuquerque-NM USA) e a visita-treino a terceira maior fábrica do Mundo a Kubicek Balloons na Rep. Checa o qual me tornei representante no Brasil. 
Um momento de tristeza no esporte: a perda do amigo e grande piloto Antonio Carlos Giusti (conhecido como AC). 
Um ídolo no esporte: admiro vários bons pilotos brasileiros, mas tenho uma admiração especial por Ales Kubicek fundador e proprietário da Kubicek Balloons.  
Voo inesquecível: Albuquerque – NW USA em 2012 com o Special Shape Mr. PUWP juntamente com o piloto Jairo Fogaça.  
Trabalhos realizados com o balonismo: Já fiz muita coisa, muitos eventos para patrocinadores, inúmeros pedidos de casamento, chegadas de Papai Noel, de Coelhinho da Páscoa para aproximadamente 800 crianças, voos para a TV e muitos outros. 
Uma história engraçada: durante uma das edições do Festival de Balonismo de Santa Maria, no balão do amigo Cid Barros, pousamos sem saber após um belo voo em um campo minado do exército. Perdemos o contato com a equipe de terra por alguns momentos após o pouso, até que o Major do Exército entrou em contato pelo rádio avisando para que não nos movêssemos pois estávamos na região das minas em campo de treino, naquele momento já tínhamos caminhado bastante ao redor do balão, o susto foi tanto que ninguém mais saiu do lugar até que chegasse o Major junto com outro soldado, aí ficamos sabendo que estávamos perto mas não exatamente no local das minas, passado o susto demos muitas risadas e até hoje isso rende história…
Foto: Arquivo pessoal
Momentos de tensão: durante um dos primeiros voos de instrução em Marília-SP, eu ainda aprendendo fomos surpreendidos por fortes ventos durante o voo, a boca do balão se fechou por alguns momentos e perdeu altitude muito rápido o cesto se chocou com algumas árvores mas não ficou preso e o balão seguiu nos ventos fortes que não diminuíram mais e na hora do pouso o GPS marcava acima de 60 Km/h. O cesto arrastou muito, encheu de terra, o envelope formou uma vela e parecia que não ia parar mais, parou quando escorou em uma árvore. Após esse susto eu pensei muito em parar o curso de piloto, achei mesmo que eu ia desistir de tudo porém procurei aprender com os inúmeros erros cometidos, compreendi as falhas, me dediquei mais a estudar meteorologia e passei a respeitar mais as condições do tempo. Conheci mais pessoas do meio e retomei as aulas um tempo depois e até hoje essa foi a pior situação por qual passei dentro de um balão.  
Melhor campeonato que já participoi: já participei de muitos eventos, mas nunca me dediquei muito as competições. Me marcou muito quando voei fora do Brasil no maior evento de balonismo do mundo em Albuquerque nos Estados Unidos com aproximadamente 500 balões. Aqui no Brasil no maior evento de balonismo da América Latina o Festival Internacional de balonismo de Torres que reúne muitos pilotos, tem uma ótima estrutura e é muito bom poder fazer parte dele todos os anos. Foi muito legal também estar presente no mundial de balonismo em Rio Claro que aconteceu em 2014, mesmo por alguns dias apenas e sem estar participando como piloto, mas foi muito gratificante estar dentro do evento e poder ver de perto os melhores do mundo competindo.  
Projetos em andamento: expandir a Federação Gaúcha de Balonismo entidade no qual sou o atual presidente. 
Projetos futuros: fazer acontecer o 1º Campeonato Gaúcho e desenvolver mais o esporte aqui no RS. Continuar voando com a minha equipe (JK Balonismo) e fazer com que ela cresça no esporte. 
Mensagem para os leitores do blog: o balonismo é um esporte lindo, muitas pessoas do meio me ajudaram e foram parceiras por outro lado houveram outras pessoas que não foram tão amigáveis assim, e isso acontece em tudo na nossa vida. Uma porta se fecha, mas outra se abre e é uma pena que tenha que ser assim, isso acontece em muitos esportes e não só no balonismo… Acho que é utopia pensar que um dia vai ser diferente, em um meio onde há conflito de interesses. Procuro fazer o meu melhor, ser transparente e autentico acima de tudo doa em quem doer. Desejo bons voos a todos os colegas e boa sorte para todos aqueles que de um jeito ou de outro querem adentrar no esporte.  

Comentários

comentários