Murilo Hoffmann

Murilo HoffmannMeu nome é Murilo Hoffmann, tenho 27 anos e sou um piloto apaixonado por balões. Sou gaúcho, nasci na cidade do balonismo, Torres, considerada a mais bela praia do RS, onde acontece, há 28 anos, o Festival Internacional de Balonismo. E foi assim que minha paixão por pilotar balões começou.

Desde pequeno moro perto do Parque de Balonismo de Torres. Os balões sobrevoavam minha casa e sempre me fascinavam. Minha mãe me chamava pela manhã bem cedo, logo quando o primeiro balão aparecia voando lá no horizonte por cima das casas e eu ansioso corria para vê-los. Costumava desenhar todo balão que aparecia no céu azul. Ficava encantado com aquilo! Pedia para minha mãe me levar ao parque do balonismo para ver os balões de perto e, quando chegava lá, era difícil de sair.


Com o tempo, fui crescendo e começando a “correr rua”, pois quando tinha dez anos não me cansava de correr atrás dos balões no Parque do Balonismo. Muitas vezes, eu e meus amigos chegávamos a correr dos seguranças do evento. A vontade era tanta de estar lá dentro que nos infiltrávamos para ajudar as equipes e acompanhar os balões. Era uma aventura… Sempre me encantou estar no meio no mundo do balonismo.


Certa vez, com onze anos, uns dias antes do Festival, um amigo chegou à minha casa pela manhã e me disse que os balonistas já estavam na cidade, pois viu algumas caminhonetes de balão indo para o parque. Convidou-me, então, para irmos lá à tarde. Eu, sem pensar duas vezes, respondi a ele confirmando. Mas havia um problema: eu tinha de ir para a escola. Nunca deixei de estudar, mas minha paixão era tanta que cada dia do Festival era sagrado para mim. Incomodei tanto minha mãe e meu irmão para que me deixassem ir ao Parque que acabei literalmente de castigo. Nesse momento, meu amigo chegou me chamando para ir e eu lhe disse que não poderia. Depois pensei em pular o muro de casa, pois não poderia perder essa oportunidade. Pedi, então, para o meu amigo que me esperasse na esquina de casa, pois em cinco minutos estaria lá. Ele concordou e fez o que pedi. Logo, fui à sala, vi meu irmão no sofá, aproveitei que ele estava distraído, pulei o muro dos fundos de casa e fui correndo para o Parque do Festival.


E foi nesse momento que uma importante mudança na minha vida começou a acontecer, pois nesse dia conheci o organizador do Festival de Torres, Bruno Schwartz. Ele acabou me colocando numa equipe francesa que estava competindo e foi então que iniciei minha experiência e aprendizado no mundo dos balões.


O meu perfil curioso e minha facilidade em aprender sobre os voos, técnicas e montagem dos balões foram ingredientes que acabaram ajudando muito para o início da minha trajetória como piloto. Apresentei facilidade no aprendizado sobre as técnicas de balonismo desde cedo e isso, sem duvida, aliado à minha paixão por balões, formaram uma combinação perfeita para engrenar na carreira de piloto de balão.


No ano seguinte, em 2003, eu estava fazendo parte da equipe da filha do organizador do evento. Com ela, aconteceu meu primeiro voo de balão. Um dia para ficar na história da minha vida. Nunca vou esquecer aquela decolagem, num dia lindo de sol, no parque de balonismo, em meio a 40 balões. Foi indescritível!


Depois do pouso, ela me “batizou” e assinou a minha credencial do evento dizendo: “batizo seu grande futuro de piloto”. Essa frase significou muito na minha vida. O impacto ao ouvi-la foi como uma injeção de incentivo para me realizar como piloto.

O tempo foi passando e a cada ano eu participava e me envolvia cada vez mais com o objetivo de realizar meu sonho. Conheci o piloto chamado Eduardo Melo, que morava em Torres, e com ele fui voando, viajando para eventos, adquirindo experiências. Isso, sem dúvida, foi de grande aprendizado para a minha trajetória profissional.


Eu me colocava à disposição para acompanhar os pilotos nos eventos e trabalhava sem cobrar por troca de horas de voo. Fiz isso por muito tempo, porque não tinha recursos para pagar o meu brevê de piloto e, naquele momento, foi a forma que encontrei de aprender e adquirir tempo de voo.


Somadas muitas horas voando, com muito esforço, participando de graça dos eventos e com a ajuda financeira da minha família, finalmente finalizei o meu curso de piloto. Conquistei meu brevê em Maringá, no Paraná, em abril de 2011, na data do meu aniversário, por coincidência. Fiquei muito feliz! Sonho realizado. Sem dúvida, representou a soma do esforço de anos com a minha paixão por voar.


Em novembro de 2011, era um sábado de manhã, eu estava em casa dormindo, quando meu pai bateu na porta e disse-me que uma carta havia chegado. A carta era para mim e, quando abri o envelope, não acreditei no que vi. Estava lá meu brevê de piloto de balão! Muita emoção, muita felicidade e a prova concreta de que quando acreditamos em um sonho e lutamos por ele, torna-se realidade. Foi a realização de um sonho de criança, esperado por muito tempo e com muito esforço. Meus olhos se encheram de lágrimas e eu gritava: “Não acredito! Não acredito!”. Euforia total.


Nesse instante, liguei para minha família e amigos para contar a eles a novidade e lhes agradecer pelo apoio que me deram nessa trajetória de conquista. No ano seguinte, montei uma empresa chamada Omega Balonismo e busquei patrocínios para participar de eventos pelo Brasil. Desde então, minha participação nos eventos de balonismo vem aumentando a cada ano.

É muito emocionante quando olho para trás e vejo, além desse histórico, o reconhecimento do meu esforço e a concretização de meu sonho se realizando a cada dia.


Além das competições que participo hoje, trabalho também com balões de ar quente como ferramenta de marketing. Empresas me contratam para fazer ações de marketing, shows, feiras, lançamentos de produtos e etc.


O balão de ar quente é uma das ferramentas de marketing mais poderosas. Ela encanta, prende a atenção de forma incomparável a qualquer outra já utilizada. Pense se você nunca fotografou um balão ao vê-lo no céu. Agora pense em quantos outdoors você já parou o carro para fotografá-los… É simples assim: o tamanho do balão, suas formas, sua leveza na imensidão do céu encantam as pessoas e sempre encantarão.


Entre algumas competições que participei, está o 5º Festival Internacional de Balonismo de Santa Maria/RS, onde eu e minha equipe conquistamos o 1º lugar. Minha próxima meta é ser Campeão Brasileiro e eu sei que, para isso, precisarei estudar e praticar muito, uma vez que esse é um título difícil de ser conquistado, tendo em vista os pilotos de alto nível hoje existentes no Brasil. Porém, a vida é feita de sonhos e um dos meus principais, realizo todos os dias quando acordo cedo para sobrevoar o céu.


É com paixão que realizo meu trabalho e, movido por ela, trabalharei para conquistar o titulo de Campeão Brasileiro. Se você é também um apaixonado por balões e quiser fazer contato comigo, terei muito prazer em trocar experiências com você.