Santa Maria não terá mais balonismo a partir de 2017

0
65219
Santa Maria não terá mais balonismo a partir de 2017

O Festival Internacional de Balonismo está com seus dias contados em Santa Maria. Após a realização de sete edições, entre 2009 e 2016, o evento não deverá mais ocorrer na cidade gaúcha, conforme anunciou o prefeito eleito da cidade, Jorge Pozzobom (PSDB).

“Vamos extinguir o tal do balonismo, porque não dá para gastar quase 800 mil reais em balonismo quando a gente não tem médico atendendo no posto de saúde“, afirmou o político em entrevista ao Jornal do Comércio e também em um vídeo publicado no facebook.

No mês de maio o então prefeito Cesar Schirmer afirmou que enquanto eu for prefeito, vai ter (o festival de balonismo). É um presente de aniversário para a cidade. Só o Natal junta tanta gente assim em Santa Maria” disse Schirmer na época, que estima um custo de mais de R$ 100 mil em despesas com o evento, ou seja, bem distante dos 800 mil citados pelo novo gestor.

A forma como o futuro gestor da cidade carinhosamente chamada de “Coração do Rio Grande” tratou o esporte balonismo é lamentável. Um evento que já acontece há tantos anos, que encanta e muito os moradores e turistas da cidade não merecia ser tratado de tal maneira, na opinião do Blog Balonismo.

Em sete edições, os balões proporcionaram dias de muita festa, alegria e cultura no município. Impossível não lembrar do Parque do Jóquei lotado durante os “night glows” ao som do Balão Mágico. Ou então nas tardes de encerramento dos eventos, quando a cada decolagem dos balões o público vibrava como se fosse um gol em grenal.

– O balonismo trás mais recursos a cidade e a torna conhecida para fins de turismo. O mundo trabalha para desenvolver o turismo e o esporte nas cidades para gerar mídia, mídia trás conhecimento, conhecimento trás turista e turista trás dinheiro. Turista fomenta a indústria e comércio local – disse a presidente da Confederação do Aerodesporto Brasileiro (CAB), Marina Kalousdian, em um comentário no facebook.

Eduardo Melo, organizador do festival desde a primeira edição, foi categórico: “O Evento em Santa Maria acabou. Fim de ciclo. Sendo o Sr. Jorge Pozzobom o novo prefeito eleito pelo cidadão santa-mariense, ele tem o direito de não querer realizar este evento, assim como já declarou que não apoiará outros eventos em “sua” cidade (carnaval, natal dentre outros). Temos consciência que fizemos 7 grande eventos na cidade, trouxemos milhares (muitos milhares) de pessoas a um outrora degradado e hoje transformado “Jockey Club” ou melhor “Parque do Jockey”. Proporcionamos milhares de sorrisos, inclusive ao voarmos pelas áreas mais periféricas da cidade. Colocamos o nome de Santa Maria em toda a mídia regional e nacional de uma maneira muito positiva. Guardo recortes de jornal onde até os caricaturistas (normalmente muito críticos) descreviam o evento como algo que “elevava a auto estima do cidadão”. Todos nós fizemos grandes amigos na cidade, fomos testemunhas de 02 casamentos entre pilotos e “gurias santa-marienses”. Muitas horas de voo, o “hino do Balão Magico” tocado inúmeras vezes, fazendo a gurizada pular e gritar… gente… quem irá esquecer dos “night glows”? Até um “coração voador” homenageou a cidade conhecida como o “Coração do Rio Grande”. Tivemos até a ovelha que virou vaca! Tivemos gremistas e colorados defraudando suas bandeiras em nossos balões… que peleia! Tudo isso não tem preço e ficará em nossas memórias e de muitos cidadãos de Santa Maria, tenho certeza. Só temos a agradecer a cidade que sempre nos tratou muito bem, com respeito e reconhecimento e não agora como o “tal de balonismo” pelo sr. tal futuro prefeito da cidade. Sigamos em frente, o balonismo no Rio Grande é uma realidade, difícil ficar indiferente à presença de nossas bolhas de ar coloridas, não é mesmo? Mais uma vez obrigado Santa Maria, obrigado aos Prefeitos Cezar Schirmer e Dr. Farret (que nos convidaram a voar em Santa Maria) e obrigado a todos os pilotos, equipes, funcionários da prefeitura e também aos apoiadores locais que sempre nos ajudaram a fazer este grande evento. Acredito que construímos algo de muito positivo nessa cidade, o balonismo faz parte da história de Santa Maria, e isso ninguém poderá apagar. Aos pilotos, gostaria de dizer que já temos outras duas cidades interessadas em nos receber. Aguardem novidades.

– Uma pena, nunca vi um povo mais apaixonado pelo balonismo que o povo de Santa Maria. Nós, pilotos gaúchos, sentiremos falta sim de Santa Maria assim como acho que Santa Maria sentirá nossa falta. Vamos torcer para que o novo prefeito tão imbuído em arrumar a casa arrume de verdade e após arrumar nos chame novamente. Ficaremos de olho Sr. prefeito – diz o piloto Ricardo Lima.

Para Ronaldo Morales, campeão da 1ª edição em 2009, “Santa Maria jamais se apagará de nossas memórias, um lugar incrível de voar e as pessoas muito acolhedoras, faz parte do ciclo as opiniões de outros administradores não querer dar continuidade em trabalho da oposição! Quem sabe a mente dessa nova gestão abra com o tempo e daqui alguns anos voltamos a brilhar nos céus da cidade. Obrigado Santa Maria, eu tive momentos incríveis aí”.

ATÉ BREVE, SANTA MARIA!

Santa Maria jamais será esquecida por nós, amantes do balonismo. Que o futuro prefeito consiga “arrumar a casa” e quem sabe, num futuro muito próximo, possa ter condições de voltar a organizar mais um grande festival de balonismo no “Coração do Rio Grande”. Afinal, a cidade é, depois de Torres (RS) e Rio Claro (SP), a cidade que organiza festivais de balonismo há mais tempo no Brasil. Fica a ideia para criar, quem sabe, um grupo de trabalho dentro da prefeitura para formatar o evento e buscar parcerias com o setor privado.

Sentiremos saudades, Santa Maria! Até breve!

Comentários

comentários