A ideia de embarcar em um balão a gás e passear nas alturas fascina qualquer pessoa. Colocar essa ideia em prática, porém, requer vencer uma série de obstáculos, que são mais psicológicos do que de ordem fática, mas que fazem parte de uma cultura que só há pouco tempo começou a mudar, e muito lentamente. “A Federação Aeronáutica Internacional é quem diz. O balonismo é o esporte aéreo mais seguro do mundo há mais de 30 anos”, afirma Bruno Schwartz, o entusiasmado responsável pela Air Show, a empresa que organiza o Festival de Balonismo de Torres desde a sua primeira edição, em 1989.

Segundo estatísticas da Divisão Aerodesportiva do Departamento de Aeronáutica Civil, esse esporte tem índices de acidentes praticamente nulos, por isso é que é a única aeronave que não exige o uso de pára-quedas. “O motivo principal está na vistoria periódica dos equipamentos de um balão, cada vez mais modernos e confiáveis, e na autorização de voo somente para pilotos com brevê”, explica Schwartz, que não esquece de lembrar sempre que o balonismo é um esporte que não agride a natureza, não polui o ambiente e, portanto, pode ser considerado ecologicamente correto.

A cobertura do Blog no 31° Festival Internacional de Balonismo tem o patrocínio da Construtora Monte Bello, Infinity Imobiliária Digital, Omega Balonismo, Air Show, Sosseg, RVB Balões e Infláveis, Balloon Pizzaria, Peretto & Irmão Material de Construção, RMS Telecom, Jung Balonismo e ART Malhas.

Comentários

comentários